Back

Centro de Negócios do Fundão e Museu da Vista Alegre vencem prémios europeus

O Centro de Negócios do Fundão e o Museu da Vista Alegre, em Ílhavo, venceram esta tarde, em Bruxelas, prémios Regiostars 2018.

O prémio é atribuído na “Semana das Regiões”, que está a decorrer em Bruxelas, ao projeto da União Europeia que melhor aplica os fundos comunitários.

O Centro de Negócios do Fundão venceu o prémio Regiostars da Comissão Europeia na categoria de apoio a uma tradição industrial inteligente.

O Museu da Vista Alegre não ganhou na sua categoria, mas venceu o prémio do público.

O Centro de Negócios e Serviços Partilhados foi financiado pelos fundos da União Europeia, através Programa Centro 2020, no valor de 2 milhões de euros.

Concebido como motor da estratégia local de inovação e investimento, este projeto permitiu atrair 14 empresas TICE e criar 500 postos de trabalho altamente qualificados numa cidade de cariz rural com menos de 15.000 habitantes.

Em quatro anos, o projeto impulsionou um ecossistema integrado que gerou 68 startups e deu suporte a mais de 200 projetos de investimento privado, apostando no R&D, em iniciativas pioneiras de conversão profissional e nas competências digitais.

Já o Museu da Vista Alegre é um projeto candidatado, apoiado pelo Programa Centro 2020, incidiu na Requalificação e Ampliação do Museu da Vista Alegre. Mas o Museu foi apenas o percursor de toda a requalificação do chamado “Lugar da Vista Alegre”.

Graças a um investimento total na ordem dos 44 milhões de euros, apoiado pelos fundos da União europeia, através do Programas Centro2020 e Compete 2020, implicando a manutenção de 1495 postos de trabalho e a criação de pelo menos 100 novos postos diretos, este projeto fez rejuvenescer o Lugar da Vista Alegre, dando nova vida ao Museu, Capela, Teatro, Recinto, Hotel e Palácio, Creche, Fábrica e Bairro Operário.

A intervenção no Lugar da Vista Alegre incluiu a edificação do Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel com a recuperação e integração do antigo Palácio, a ampliação e remodelação profunda do Museu Vista Alegre, a modernização da Fábrica da Vista Alegre, a requalificação da Creche, enquanto Serviço Educativo de Manufatura e Pintura, a reabilitação do Teatro Vista Alegre, bem como o restauro da capela seiscentista de Nossa Senhora da Penha de França e da sua contemporânea Fonte do Carrapichel (1693), marco do nascimento do topónimo Vista Alegre.

Ana Abrunhosa com Paulo Fernandes e Paulo Soares

Para Ana Abrunhosa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional da Região Centro (CCDRC), “estes dois prémios traduzem bem o caminho que a região Centro tem feito com o apoio dos fundos europeus. A transição para uma indústria/economia inteligente, através do projeto promovido pelo município do Fundão. Este projeto demonstra que com liderança e estratégia podemos contrariar a desertificação dos territórios mais frágeis e torná-los em atrativos para empresas de ponta e para jovens quadros qualificado”.

Refere ainda que “nessa transição a região Centro tem tido o cuidado de preservar o nosso património cultural e industrial, de forma sustentável, com o projeto liderado pelo município de Ílhavo e pela empresa Vista Alegre, do Grupo Visabeira. Deixo também aqui uma palavra de reconhecimento ao trabalho desenvolvido, neste domínio, pela Direção Regional da Cultura do Centro e pela Entidade Regional de Turismo do Centro, atores fundamentais no processo de desenvolvimento da Região Centro”.

Já Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão, “este prémio é simultaneamente uma grande honra e uma enorme responsabilidade. É uma honra, porque o Fundão, um município de baixa densidade da região Centro, vê assim reconhecida no espaço europeu a sua estratégia de desenvolvimento focada na criação de valor, atração de investimento, emprego e inovação, apresentando-se numa Europa que quer promover a coesão como um bom exemplo na aplicação de fundos estruturais com base em critérios de sustentabilidade e impacto na economia local e regional”.

Entende também que “é igualmente uma enorme responsabilidade porque este reconhecimento nos incentiva a continuar a aposta e o trabalho no desenvolvimento e reforço desta estratégia que articula tradição com inovação, procurando que a comunidade seja cada vez mais o centro do projeto num território aberto ao mundo e às pessoas”.

Paulo Soares, administrador da Vista Alegre, destaca que “é um enorme orgulho para a Vista Alegre receber este prémio e ver distinguido e reconhecido internacionalmente o investimento da Vista Alegre na preservação de um património cultural, social e industrial de quase 200 anos de história. Receber este prémio vem incentivar-nos ainda mais a continuar a desenvolver e afirmar a Vista Alegre enquanto referência cultural e industrial a nível nacional e internacional e com isso honrar o esforço passado e presente de todos os colaboradores em manter viva e com sucesso esta herança”.

Esta distinção tem “importância para o país para a região Centro de Portugal, para o município de Ílhavo e para o futuro da marca Vista Alegre e sua afirmação como marca Portuguesa no Mundo. O envolvimento da CCDR Centro foi fundamental para que estivéssemos hoje aqui a celebrar este prémio, e o trabalho realizado é a prova que as instituições e os apoios quando são bem geridos são uma mais valia para o meio empresarial e a sociedade.”

* Margarida Prata, Angela Faria da Cunha e Sandro Garcia, a equipa da CentroTV em Bruxelas

Post a Comment

Share This