Back

Ala dos Criados é a nova produção do Teatrão

Em maio, o Teatrão dá a conhecer uma nova divisão da sua Casa do Poder. “Ala de Criados”, do argentino Maurício Kartun, é a mais recente produção da companhia que em 2019 comemora 25 anos, e o segundo capítulo do ciclo que se propõe a explorar as diferentes dimensões do poder. Com encenação de Marco Antonio Rodrigues, o convite é para viajar até à Argentina de 1919.

A estreia está marcada para os dias 17 e 18 de maio, no 42º FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica. Depois da passagem pelo Porto, a produção volta a casa, à Oficina Municipal do Teatro, para uma temporada que terá início no final do mês e se estenderá até junho.
No ano em que se comemoram 100 anos daquela que ficou conhecida como a Semana Trágica, os sete dias mais violentos da história da Argentina, durante os quais se contabilizaram cerca de 700 vítimas mortais, entre os trabalhadores que se encontravam em greve, simpatizantes dos grevistas e judeus associados ao movimento anarquista, o Teatrão traz a palco o texto de Maurício Kartun que tem como pano de fundo o massacre de 1919.
Em “Ala de Criados” afastamo-nos de Buenos Aires – onde despoletou o conflito entre a classe operário e a classe política e empresarial – e dirigimo-nos para sul, para o clube de tiro ao pombo de Mar del Plata. Lá encontramos Tatana, Emilito e Pancho; primos, membro de uma família aristocrata, que, bem regados com bloody marys para matar o tédio, por lá passavam o abrasador verão sul-americano. O aborrecimento cessa quando aparece Pedro, um comerciante em ascensão, funcionário do clube e objeto do afeto dos três elementos da família Guerra.
À medida que a ação avança, cada uma das quatro personagens vai revelando as suas verdadeiras motivações, num frenesim de tiros, tango e sedução que serve de metáfora a temas que são tão atuais como intemporais.
Antes da estreia, no Porto, realiza-se o ciclo de cinema argentino que irá acompanhar a produção. Numa parceria com o LIPA – Laboratório de Investigação e Práticas Artísticas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC), a Oficina Municipal do Teatro será casa de quatro sessões que se realizarão todas as terças durante o mês de maio. A extensão das Sessões do Carvão, uma iniciativa da FLUC coordenada por Sérgio Dias Branco, destina-se particularmente a estudantes.
 A primeira aconteceu no dia 7 de maio. A longa metragem escolhida para dar início ao ciclo foi “O Segredo dos Seus Olhos”, vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2010. Seguir-se-ão “O Homem ao Lado” (2009) e “O Cidadão Ilustre” (2016). Na sessão que antecede a estreia da temporada na OMT e para finalizar, o thriller “Relatos Selvagens” (2014), de Damián Szifron.

Publicar comentário