Back

BE denuncia poluição em rio no concelho de Carregal do Sal

O Núcleo Concelhio de Carregal do Sal do Bloco de Esquerda (BE) denunciou mais um caso de poluição, desta vez no rio Dão na praia fluvial do Mercudo, em Papízios.

Os bloquistas adianta que “a espuma é muito visível e o cheiro a esgoto é intenso” naquela praia fluvial.

“Vários membros do Núcleo Concelhio de Carregal do Sal  e da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do BE presenciaram um foco de poluição no rio Dão, na Praia Fluvial do Mercudo em Papízios, junto à ponte da Estrada Regional 230”, revelam.

Acrescentando que a situação já “foi denunciada às entidades competentes, nomeadamente ao SEPNA local”.

O BE refere que “o Mercudo é uma zona piscatória bastante frequentada, tal como no verão é uma zona de banhos muito importante do concelho de Carregal do Sal e dos concelhos limítrofes”.

“Relembramos que o Bloco de Esquerda, tanto no concelho como no distrito, tem-se empenhado na luta pela defesa dos cursos de água, rios e ribeiras que são constantemente poluídos com descargas ilegais ou com a inoperabilidade de alguns sistemas de tratamento de águas residuais”, dizem, sublinhando que “ a sub-bacia hidrográfica do Dão (rio Dão, rio Dinha, rio Criz e outros) é insistentemente alvo de casos de poluição que contamina o ecossistema e prejudicam gravemente a fauna e a flora do seu envolvente”.

O BE frisa que já fez várias denúncias como é o caso da “Zona Industrial da Gândara em Carregal do Sal onde algumas empresas não cumprem com os requisitos legais para a rejeição de efluentes, a contínua poluição” na Ribeira de Dardavaz em Tondela ou o rio Pavia na cidade de Viseu.

“Estes atentados ambientais põem em causa a saúde pública e a fauna e flora aquáticas e ribeirinhas. É extremamente necessário resolver com urgência estas situações e apurar quem são os responsáveis”, afirmam a concluir.

1 comentário

  • José Dias Batista

    12 Fevereiro, 2020

    Era importante é que o BE antes de andar preocupado em fazer propraganda política no facebook, tivesse denunciado a situação junto do Munícipio, para que fosse desencadeada a correspondente ação de fiscalização em tempo útil, por forma a que fosse possível apurar responsabilidades.