Back

Coro da Universidade de Oxford atua sábado na Igreja de Santa Cruz

O Coro do Queen’s College, da Universidade de Oxford, protagoniza, no próximo sábado, dia 14 de setembro, às 18h30, um concerto na Igreja de Santa Cruz, com o apoio da Câmara Municipal de Coimbra.

A iniciativa integra-se nas Comemorações dos 650 anos da Aliança Luso-Britânica, a mais antiga aliança diplomática do mundo ainda em vigor, cujas comemorações tiveram início no passado mês de julho, no Palácio de St. James, em Londres, e terminarão em 2023, na Catedral de São Paulo, onde foi assinado o Tratado Luso-Britânico de 1373. O concerto tem entrada livre.

 O Coro do Queen’s College é constituído por cerca de 30 elementos, sendo considerado como um dos melhores e mais ativos coros do Reino Unido. Para além da atividade regular na Capela da Universidade de Oxford (a mais antiga Universidade do mundo anglófono, fundada em 998), tem atuado com grandes orquestras nacionais e na rádio BBC.

Fez importantes digressões pelos Estados Unidos da América, Europa e Ásia. O reportório de música sacra que apresenta abrange desde a música da Renascença e Barroca até à atualidade. Fez gravações de composições polifónicas portuguesas. Foi nomeado para um “Grammy”, pela banda sonora de um filme da saga “Harry Potter”, de 2009. O trabalho discográfico da formação musical destaca-se na Specialist Classical Charts, uma das mais prestigiadas listas de classificação no género música clássica.

É dirigido por Owen Rees, organista e investigador na área da Música do período de 1450 a 1650, que dirigiu espetáculos e gravações do reportório Renascentista e Barroco, em Inglaterra e no estrangeiro. Dedica-se, particularmente, à produção Ibérica, protagonizada pelo Mosteiro de Santa Cruz, e às ligações musicais de Portugal com outros países destacando-se obras dos compositores Manuel Cardoso, Pedro de Cristo e Duarte Lobo, dos quais tem várias publicações. Dirige, também, o Cambridge Taverner Choir e o Contrapunctus. O trabalho de Owen Rees foi três vezes nomeado para o Prémio Gramophone Early Music Award.

O programa do concerto, maioritariamente sacro, integrará duas obras dos portugueses Pedro de Cristo e Duarte Lobo, respetivamente, “Sanctissimi quinque martires” e “Missa de beata virgine Maria”. Serão também interpretadas obras de William Byrd, Tomás Luis de Victoria, Charles Wood, Edward Grieg, John Rutter, Anton Bruckner, Herbert Howells, Olivier Messiaen e William Harris.

Publicar comentário