Back

Feira do Porco e do Enchido leva milhares a Meruge

Faça o tempo que fizer, no próximo domingo, dia 11 de Novembro, a Lage Grande e o Terreiro do Santo, na localidade de Meruge, concelho de Oliveira do Hospital, vão encher-se de gente, animação, artesanato e sabores únicos da gastronomia local, para celebrar a 16ª edição da Feira do Porco e do Enchido.

Esta é a mais genuína e expressiva mostra lúdico-gastronómica da região das beiras, um espaço singular de gastronomia ancestral, de multifacetada e permanente animação de rua, de valorização dos produtos do Mundo Rural, de aposta na música e na cultura populares.

Certame nascido para evidenciar o papel dos “porqueiros” no desenvolvimento económico da Freguesia de Meruge e enaltecer a excelência dos enchidos amanhados por mãos artífices de mulheres, a Feira do Porco e do Enchido afirmou-se nestes 16 anos de sucessos, como o mais vernáculo e atractivo cartaz lúdico/gastronómico da Beira-Serra.

No cenário granítico da Laje Grande, os novos e os indefectíveis visitantes disporão das suculentas especialidades gastronómicas que dão nome à Feira (as Chouriças de Carne e de Bofes, as Morcelas e Farinheiras, os Paios e Presuntos Curados), enriquecidas com primores do património da gastronomia nacional como o inimitável “Arroz de Suã”, pitéu que todos os anos mobiliza um número infindável de apreciadores. Mas não se esgota naquela iguaria a “ementa”. O “Porco no Espeto com Arroz de Feijão”, os “Torresmos à Moda de Meruge”, feitos à fogueira em caçoila de barro, a “Feijoada à Moda de Nogueirinha” são outras tantas propostas colocadas à disposição do visitante no recinto da Feira pelas associações locais. Se o colesterol ainda tiver espaço, pode fechar o inolvidável repasto com as irresistíveis guloseimas saídas do “Concurso de Doçaria Tradicional”.

Para quem preferir um menu menos substancial mas não menos tradicional, pode encomendar uma Bôla de Carne, de Bacalhau ou de Chouriço ou adquirir simplesmente uma Broa de Milho e aprender a arte de “tender” ali, ao vivo, no recuperado Forno Comunitário ou comprar a carne e utilizar as fogueiras e caçoilas que disponibilizamos na Feira, para confeccionar a sua própria refeição.

Quando se trata de recriações de época e folia sem limites o Grupo de Teatro e Animação de Rua “Vivarte”, surge como o mais cotado do país. São eles que desde a primeira edição têm a responsabilidade e o grato prazer de divertir, provocar e envolver o público que interage e se deleita com as suas mirabolantes performances.

O Vivarte propõe como tema para a edição de 2018 a: Teatralização de alguns episódios vividos pelos soldados portugueses na 1ª Grande Guerra e a evocação do Armistício assinado a 17 de Novembro de 1918, com singela homenagem aos heróis da Freguesia e do Concelho que participaram nas trincheiras da Flandres (ver Programa).

De todo o país chegarão mais de uma centena de artesãos para expor e vender a diversidade colorida dos seus produtos.

Dos campos em redor, agricultores vão trazer à ”Feira da Agricultura Familiar” as nozes, os figos e as pêras secas, as castanhas e as abóboras, mais a jeropiga, o azeite e os licores e também galos, pitas e galinhas e os respectivos ovos, mais os coelhos e os bácaros, se os houver.

A “Mostra do Porco Bísaro” exporá ninhadas de leitões, para gáudio de crianças e adultos.

A música ouvida na Feira do Porco e do Enchido é outra marca de qualidade do evento. Grupos consagrados da música popular como os “Galandum Galundaina” ou os insuperáveis “FanfarraKaústica” animarão todo o dia o espaço da Feira. A primeira “arruada” será feita com o Grupo de Bombos “Os Grifos”, seguidos pelo “Grupo de Concertinas e Cantadores ao Desafio do Minho: “Amigos do Borguinha”, com a Adília, de Arouca, ícone nacional das “cantadeiras” e o Grupo de Gaitas de Foles da Associação “Lérias”, de Miranda do Douro.

As crianças terão mais uma vez nesta 16ª edição da Feira um programa específico recheado de surpresas. Para além dos inolvidáveis “Passeios de Burro” que se realizam durante todo o dia no recinto do certame, na “Tenda das Mil Histórias” haverá pinturas faciais, balões e muitas brincadeiras. A Associação de Jogos Tradicionais “Tokajogar – Jogos Tradicionais e Populares”, da Guarda – fará demonstrações e ensinará jogos esquecidos da cultura popular, que têm cada ano mais adeptos.

Os amantes das caminhadas podem inscrever-se de novo no Passeio Pedestre, que retomará este ano o percurso pelos campos em redor, com partida da Junta de Freguesia pela 8 da manhã, de dia 11.

Para Sábado, 10 de Novembro, preparámos um Programa técnico/cultural de grande fôlego.

Pela primeira vez conseguimos a colaboração da Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara (ANCSUB), que patrocinará a Exposição “A Raça de Porco Bísaro”, com inauguração prevista para as 15 horas e o Colóquio: “O Porco Bísaro no Desenvolvimento Rural”, pelas 16 horas, com a participação de técnicos especialistas no conhecimento e potencialidades desta raça de porco, introduzida no nosso país pelos Celtas, há milhares de anos.

Pelas 21horas terá lugar no Salão da Associação Amigos de Meruge – uma animada NOITE DE FADOS DE LISBOA E DE COIMBRA com os fadistas António Dinis e Inês Brito, acompanhados na guitarra de Coimbra, por Luís Marques e na guitarra Clássica, por Paulo Larguesa.

“O Sacrifício das Castanhas em Homenagem a S. Martinho e a Bênção da Jeropiga” – Magusto Tradicional na caruma, na Lage Grande, segue-se à Noite de Fados e é para toda a gente, prometendo castanhas de qualidade e jeropiga da boa.

A Noite de Sábado encerrará com o espectáculo de Teatro de Fogo: “Os Ladrões do Tempo”, pelos VIV’ARTE.

Publicar comentário

Share This