Back

Impacto económico do Rally de Portugal foi de 141,2 milhões de euros

A edição de 2019 do WRC Vodafone Rally de Portugal gerou “141,2 milhões de euros na economia nacional, mais 2,9 milhões que a edição anterior, registando um novo recorde no impacto que o evento provoca anualmente no país”, adianta hoje a organização.

De acordo com o Estudo do Impacto do WRC Vodafone Rally de Portugal na Economia e Turismo, “mais de metade do retorno verificou-se em despesa direta assegurada por adeptos e equipas nas regiões do Norte e Centro onde decorreu a prova do Automóvel Club de Portugal: 73,42 milhões de euros”.

Face ao volume e tipologia de gastos dos adeptos, com destaque para os setores da alimentação e bebidas, transportes internos e alojamento, é “possível estimar que residentes e turistas com despesas afetas ao WRC Vodafone Rally de Portugal 2019 proporcionaram ao Estado uma receita fiscal bruta superior a 21,6 milhões de euros (IVA e ISP), representando 29,5% de impostos face à despesa direta total”.

De acordo com o estudo anual do impacto do WRC Vodafone Rally de Portugal na economia, efetuado pelo Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve, registou-se “cerca de um milhão de assistências. Entre 15 diferentes origens identificadas no estudo, 41,1% são estrangeiros e 58,9% nacionais, gerando um importante fluxo turístico com índices de satisfação elevados a que se soma o facto de, independentemente da sua origem, expressarem intenção de regresso às regiões cobertas pelo Rally nos próximos três anos: 90,9% no verão e 72,2% no inverno”.

Já o retorno económico da prova através dos media – impacto indireto – segundo o critério de valor monetário das notícias (AEV) proveniente da exposição nacional e internacional, projeta que o WRC Vodafone Rally de Portugal 2019 gerou 67,7 milhões de euros. Esta valorização resulta da exposição da imagem do evento e das regiões norte e centro nos vários canais internacionais, com destaque para a exposição televisiva em mercados como França, Finlândia, Bélgica, Espanha, Japão, Polónia, Suécia, Alemanha, República Checa e Bulgária.

De realçar ainda a “relevância do Rally de Portugal para a economia desde 2007, ano em que a prova regressou ao mundial de ralis, registou 1.314,2 milhões de euros numa perspetiva agregada, contributo que nenhum outro evento desportivo ou turístico organizado anualmente em território nacional atinge”.

 

Publicar comentário