Back

Região de Coimbra integra Agenda Urbana da UE

A CIM Região de Coimbra foi reconhecida como a única representante portuguesa na Parceria da “Cultura e Património Cultural” da Agenda Urbana para a União Europeia.

A Agenda Urbana para a UE foi instituída em Maio 2016 com o Pacto de Amesterdão e visa criar uma plataforma de cooperação entre estados-membros, regiões, Comissão Europeia e outras entidades, criada com o objetivo de estimular o crescimento, a habitabilidade e a inovação e ao mesmo tempo delinear soluções para desafios sociais próprios das zonas urbanas.

Coordenada pelo Ministério do Interior da Alemanha, o Ministério do Património e Atividades Culturais de Itália e a Agência Italiana para a Coesão Territorial a nova Parceria da “Cultura e Património Cultural” conta, para além da participação da CIM Região de Coimbra, com a participação de 14 cidades e regiões europeias de Chipre, França e Espanha.

A participação da CIM RC na Agenda Urbana para a UE integra-se num novo tipo de cooperação transparente, aberta e multinível com foco na Cultura e Património Cultural da Região de Coimbra. A Agenda Urbana para a UE é empreendida pelos Estados-Membros juntamente com a Comissão Europeia, o Parlamento Europeu, o Comité das Regiões (CdR), o Comité Económico e Social Europeu (CESE), o Banco Europeu de Investimento (BEI).

A CIM Região de Coimbra integra uma das duas novas parcerias da Agenda Urbana para a União Europeia, “Cultura e Património Cultural” e “Segurança no Espaço Público” que receberam o apoio dos Diretores-Gerais dos Estados-Membros responsáveis pelos assuntos urbanos, reunidos em Viena. A integração formal da CIM RC na Agenda Urbana far-se-á na reunião de Ministros a 13 e 14 de Junho em Bucareste:

As parcerias constituídas no âmbito da Agenda Urbana para a União Europeia são grupos de atores de diferentes níveis administrativos (europeu, nacional, local) e de diferentes setores da política europeia envolvidos em torno de um tema prioritário para o desenvolvimento urbano sustentável com vista ao estabelecimento de um plano de ação que melhore as condições de regulação, financiamento e conhecimento das políticas urbanas.

Publicar comentário