Back

República estudantil Solar da Praça quer ser reconhecida como entidade de interesse histórico e cultural

O executivo da Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai analisar e votar, na sua reunião da próxima segunda-feira, uma proposta para o eventual reconhecimento da Associação Solar da Praça como entidade de interesse histórico e cultural.

A ser aprovada a intenção de candidatura, a decisão será submetida a um período de consulta pública de 20 dias, para que, por fim, seja elaborado o relatório final.

A Associação Solar da Praça informa, na sua ficha de candidatura, que teve a sua génese na Casa Comunitária da Praça no final da década de 50, tendo obtido o estatuto de Solar da Praça apenas em 1989 e, com base nos anexos apresentados, é possível comprovar que a longevidade da república de estudantes é superior a 25 anos.

Já no que diz respeito à sua identidade, ficou provado, pelos anexos enviados, a dinâmica cultural da república em questão, com a apresentação de muitos cartazes e fotografias que representam as várias e diversificadas atividades desenvolvidas.

A Associação Solar da Praça apresenta ainda evidências no que diz respeito ao seu património artístico e ao ser acervo, bem como à necessidade de salvaguarda do seu património imaterial e necessidade de divulgação.

Recorde-se que a CM Coimbra aprovou, na sua reunião de 5 de março de 2018, uma ficha de candidatura para a instrução de processos de reconhecimento e proteção de estabelecimentos e entidades de interesse histórico e cultural ou social local, de forma a auxiliar os estabelecimentos que pretendessem ver efetivado esse reconhecimento.

O objetivo passa por simplificar o procedimento, para que os estabelecimentos que se enquadrem nas categorias previstas na lei possam desencadear, com maior celeridade e simplicidade, o seu processo de pedido de reconhecimento como entidade de interesse histórico e cultural ou social local.

Publicar comentário