Back

Aprovado lançamento do concurso público para empreitada da Ecovia do Mondego

O Conselho Intermunicipal da CIM Região de Coimbra aprovou, em reunião ordinária realizada no dia 12 de julho, a abertura do concurso público para a execução da Ecovia do Mondego de Prolongamento da Ecopista do Dão, uma via ciclável de 40 quilómetros que vai ligar os concelhos de Santa Comba Dão, Mortágua e Penacova.

“Com um preço base de 1.445 mil euros, esta empreitada terá a duração de 18 meses e prevê o aproveitamento de estradas e caminhos rurais existentes, sendo que só pontualmente será instalada uma via dedicada, como na margem da albufeira da barragem da Aguieira”, adianta hoje a CIM em nota de imprensa enviada à CentroTV.

Permitirá também a ligação contínua à Ecopista do Dão através da construção de um passadiço metálico até à estação ferroviária de Santa Comba Dão.

A Ecovia do Mondego de Prolongamento da Ecopista do Dão é uma parceria conjunta entre a CIM Região de Coimbra e os Municípios de Santa Comba Dão, Mortágua e Penacova e a CIM de Viseu Dão Lafões, e permitirá o prolongamento ciclável da Ecopista do Dão, um percurso de 49 quilómetros que já faz a ligação entre Viseu e Santa Comba Dão.  O projeto foi alvo de candidatura ao Programa Valorizar do Turismo de Portugal, no âmbito da Linha de Apoio à Valorização do Interior, na tipologia “Projetos de valorização ou incremento da oferta de Cycling & Walking”, tendo sido apoiado em cerca de 876 mil euros.

Ecovia do Mondego foi lançada há um ano

O projeto estende-se ao longo das margens do Rio Mondego, apresentando um forte potencial turístico dado o património natural que aqui se encontra e as estruturas de apoio já existentes.

Pretende potenciar as características naturais únicas deste território através da perfeita simbiose com o Rio Mondego enquanto elemento patrimonial de excelência. Nesse sentido, constituir-se-á como um projeto absolutamente estruturante para a valorização turística e para a promoção da coesão económica e social das populações, servindo como elemento unificador da Região Centro, através da facilitação da sua visitação em modos suaves.

“O potencial turístico desta ecovia é complementado com os vários pontos de interesse ambiental e recreativo que existem na zona, com a interligação entre as praias fluviais, zonas preparadas para atividades náuticas, como a Albufeira da Aguieira e a praia fluvial de Penacova, e pontos de elevado interesse ambiental, geológico e paisagístico, como a Livrarias do Mondego”, afirma o secretário executivo da CIM Região de Coimbra, Jorge Brito.

Enquadrado numa estratégia integrada de desenvolvimento turístico, no futuro, o objetivo passa por fechar um “anel” ciclável na Região Centro que interligue o interior ao litoral, passando por Figueira da Foz, Coimbra, Viseu e Aveiro, constituindo um produto absolutamente único e inovador, projetando nacional e internacionalmente este território como destino turístico de excelência de “Cycling & Walking”.

Publicar comentário