Back

Cabeça de lista do PSD por Coimbra diz que passagem dos alunos até ao 9º ano é medida de antigo regime de Leste

A deputada do PSD, Mónica Quintela, cabeça de lista pelo Circulo Eleitoral de Coimbra, fez duras críticas à polémica intenção do Governo socialista em acabar com a retenção de alunos até ao final do 9.º ano.

“Vamos ter semi analfabetos, mas com habilitações literárias do 9.º ano. E como vão prosseguir os estudos sem base?! E é justo para os que estudam?!”, começou por questionar a advogada numa publicação partilhada nas redes sociais.

A deputada comparou a medida do novo programa do Governo a uma “medida à moda do antigo regime Leste”.

Mónica Quintela frisou que “independentemente do mérito ou trabalho, [os alunos] têm o mesmo resultado”.

“O governo a poupar causando prejuízo grave”, concluiu.

 

Comentários (2)

  • Ana Nunes Paixão Gomes

    16 Novembro, 2019

    Tem toda a razão. Os alunos têm que saber que para se conseguir as coisas tem que fazer por elas, neste caso, estudar. Isto vai dar-lhes ferramentas para o futuro. Se todos passam, eles acomodam-se é não criam hábitos de estudo e sacrifício para lutar pelos objetivos da vida.

  • Maria João Bizarro

    17 Novembro, 2019

    Subscrevo a opinião da Mónica Quintela. O trabalho dos alunos é o estudo, se podem seguir em frente sem ter que trabalhar, como poderão ser alguém no futuro? E os alunos que trabalham, que se esforçam para obter bons resultados, vão sentir-se injustiçados. Agora passa tudo até ao 9°ano, daqui a uns anos acontece o mesmo até ao 12°, pois é obrigatório andar na escola até aos 18 anos. E se todos têm que passar, qual é o papel do professor em sala de aula?

Publicar comentário